Maria Marlene Nascimento Teixeira Pinto - Cadeira nº 32 da ATL - Patrono: Darcy Albernaz

 

Neste pequeno livro, tentei de maneira concisa, demonstrar como foram alguns dos  meus dias, professando uma carreira que abracei com muito amor e devoção, quer na cidade, quer na zona rural.

Os relatos são fiéis. Eu, apenas, queria que os futuros professores tomassem conhecimento das minhas experiências e as degustassem com sabedoria.  Que elas possam servir de exemplos em situações análogas. Que cada uma possa ser um incentivo para que coloquem muito amor e perseverança no trato de alunos que necessitem de atenção especial e ajuda. Aprendi muito com eles, independente da idade, do problema, do curso frequentado. Todos necessitam de admiração, de carinho e de alguém em quem possam se espelhar. Alguém que se preocupe com os seus pontos de vista, com os seus conhecimentos prévios, respeite as suas diferenças de linguagem, as suas variedades linguísticas e culturais e, principalmente, as suas limitações e o modo com que absorvem os seus conhecimentos. Essas diferenças, quando detectadas e trabalhadas, somam valores e mantêm a paz  e a ordem dentro da sala de aula. E o professor, a cada dia, tem a certeza de missão cumprida. E, no final, só tem a ganhar, não só experiências e amadurecimento, mas o engrandecimento espiritual.

 

“O amor recíproco entre quem aprende e quem ensina é o primeiro e mais importante degrau para se chegar ao conhecimento.” Erasmo de Roterdã